terça-feira, 8 de setembro de 2015

Quem é você, Alasca? (John Green)


ISBN: 978-85-782-734-22
Editora/Cidade: WMF Martins Fontes/São Paulo
Ano de Publicação: 2010
Páginas: 240
Links: Submarino - Skoob
Classificação:

Miles Halter é um adolescente fissurado por célebre últimas palavras – e está cansado de sua vidinha segura e sem graça em casa. Vai para uma nova escola à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young. Inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, Alasca levará Miles para o seu labirinto e o catapultará em direção ao “Grande Talvez”.


O livro conta a trajetória de Miles antes e depois do grande acontecimento, que contribuiu para sua mudança, mostrando como era sua vida sem graça, sem amigos, ao lado dos pais super seguros e sua busca pelo “Grande Talvez”. A história se passa em um internato do Alabama.

Já no internato, Miles conhece seu colega de quarto, Chips, mais conhecido como “coronel”, e então ele também ganha um apelido, “Gordo”. Não sei se era o tipo de amigo que ele esperava encontrar, mas desde o início percebe – se como duas pessoas diferentes são capazes de possuir uma amizade tão interessante.



O que fica bem claro é a evolução do Miles. No início do livro ele aparece como o garotinho inseguro, e no decorrer da história essa visão vai mudando, talvez a sua incerteza do futuro continue, mas ainda assim, não da mesma forma como antes.

A minha personagem preferida foi sem dúvidas a Alasca. Uma garota dona de si própria, mandona e experiente, mas que dentro de toda sua força escondia dores, arrependimentos e medos.



Este livro é o segundo que eu leio do John Green, e apesar de ter gostado, achei a narração parada e alguns trechos foram bem cansativos.

Eu esperava que fosse acontecer outra coisa, e pude me surpreender pelo que realmente aconteceu e fiquei até o final do livro esperando por uma resposta... Que não apareceu. E creio que está tenha sido a intenção do autor, deixar aberto o “Grande Talvez”, e mostrar que afinal, nossa esperança depende de nós mesmo.
“...se as pessoas fossem chuva, eu seria a garoa e ela, um furacão.”
Espero que tenham gostado da resenha.
Beijinhos

4 comentários:

  1. Oie! Acredita que nunca li esse livro? Do John Green, apenas li A Culpa É das Estrelas mesmo. Infleizmente não tenho muita vontade de ler os outros.
    Ótima resenha! <3
    Bjs,
    http://www.girlfromoz.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo? Apesar de ter gostado da história, também não me interesso pelos outros livros do John Green.
      Obrigada:)
      Beijos <3

      Excluir
  2. Eu li esse livro há tanto tempo, estava até pensando em lê-lo novamente para resenhar no blog, rs. Gostei da resenha, o que você sentiu no final do livro foi mais ou menos o que eu senti também.

    literarizei.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resenha sim, que eu quero ler! rsrsrs
      Que bom que gostou ;)
      Beijos

      Excluir

Pin It button on image hover