segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

A menina que não sabia ler (John Harding)


ISBN: 978-85-62936-11-1
Título Original: Florence and Giles
Tradução: Elvira Serapicos
Editora/Cidade: Leya/São Paulo
Ano de Publicação: 2010
Páginas: 220
Nota: 4/5




1891. Nova Inglaterra. Em uma distante e decadente mansão, onde nada é o que parece, dois irmãos são negligenciados pelo seu tutor e tio. A jovem Florence, de apenas 12 anos, passa os dias cuidando de seu irmã mais novo Giles e perambulando pelos corredores, em uma rotina tediosa e desinteressante. Até que encontra a biblioteca proibida da mansão, e apaixona - se por ela.

Mas existem segredos sombrios naquela casa que jamais deveriam ser revelados. Por que Florence sempre sonha com uma misteriosa mulher que insiste em ameaçar seu irmão? O que esconde a nova receptora? E por que o tio não permite que ela aprenda a ler? Florence precisa encontrar muitas respostas - sejam elas inventadas ou não, e soluções nem sempre fáceis para proteger Giles, e o seu amor pelos livros, antes que alguém descubra que ousou abrir as portas do mundo literário.



Em uma antiga mansão, Florence uma garota de 12 anos, passava os dias brincando com seu meio irmão, Giles, de 8 anos. A mãe de ambos haviam morrido e o pai também, em um acidente de barco, deixando - os a mercê de um tio, que nunca fora visitá - los. Exceto a governanta, os criados, o médico e as raras vezes que iam na cidade, as crianças não tinham contato com outras pessoas ou crianças. 

Um dia enquanto andavam pela imensa mansão, Florence descobre a biblioteca e fica maravilhada com o que vê. Sabendo que não terá chance de alguém ensiná - la ler, pois seu tio era contra a educação de mulheres, ela decide aprender sozinha. Logo se envolve em um mundo mágico e faz de tudo para esconder seu segredo e o amor pelos livros.

Ela é uma garota muito inteligente e tem a capacidade de pensar extremante rápida e muita agilidade para por seus planos em práticas. É super protetora com o irmão, e quando ele vai para escola ela fica preocupada a possibilidade de ele estar sofrendo bulliyng. 


O começo do livro é mais parado, contando toda a rotina deles, das visitas que seu vizinho fazia a ela, sobre aquela antiga mansão, etc. Quando a primeira preceptora, que cuidava da educação de seu irmão, morre em um acidente no lago e chega a substituta, a srta. Taylor, que a ação inicia - se. 

É um livro bem diferente, com um toque do mistério e suspense de Poe, que nos faz envolver com a história e acompanhar a protagonista enquanto ela vai descrevendo os fatos com sua escrita bem elaborada. Despertando a ansiedade e frustração, já que nem todas as perguntas foram respondidas, ficando à imaginação do leitor o trabalho de desvendá - las.


Sinceramente ao terminar de lê - lo, não sabia se tinha gostado ou não, foram necessários alguns minutinhos para refletir sobre toda a história. Mas por mais incrível que pareça, não tem como odiar o livro! Recomendo principalmente para quem curte um bom suspense e livros de finais não - óbvios.


"A neve perfeitamente branca, a gralha preta como uma mancha no lençol recém - lavado; pela primeira vez compreendi que não havia nada inteiramente bom e nada inteiramente ruim, que cada página tem uma mancha, e, por essa razão, eu esperava todas as noites sombrias por uma pequena luz brilhante".


Alguém já leu?
Comentem o que acharam!
xoxo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pin It button on image hover