sexta-feira, 30 de outubro de 2015

As Brumas de Avalon: O Prisioneiro da Árvore (Marion Zimmer Bradley)


ISBN: 978-85-312-1040-2
Título Original: The Mists of Avalon
Tradução: Waltensir Dutra
Editora/Cidade: Imago/Rio de Janeiro
Ano de Publicação: 2008
Páginas: 239
Classificação

No quarto e último livro da série As Brumas de Avalon, inicia – se em Gales do Norte, onde os filhos do rei Uriens voltam das batalhas e Morgana como sempre, já sabe o deve fazer, estando pronta para cumprir a sua missão, mesmo que essa representa a morte de alguém.


Porém o maior problema é o descumprimento de Artur em relação ao povo de Avalon, e no dia de Pentecoste, assim como os outros, Artur está disposto a conceder, se possível, aquilo que lhe foi pedido. Aproveitando a situação, Morgana relembra o juramento que ele fez, mas Artur continuou firme na sua posição, então ela exigiu a espada e a bainha, que tinha sido feita por ela mesma cheia de encantamentos para não deixar Artur perder muito sangue nas batalhas. Ele também não lhe devolve, e a única saída será a própria Senhora do Lago ir busca – la, mas não se sabe se está é uma boa decisão.

Durante esse tempo, Artur finalmente conhece seu filho Gwydion, e outros inúmeros acontecimentos vão mudando o rumo da história. De todos os livros da saga, este é o que contém mais informações, assim como vários fatos que se iniciaram nos livros anteriores, ganham importância nas decisões que aqui serão tomadas.


O que me chamou muito atenção é que geralmente nas histórias de guerras, o que se destacam são os grandes feitios dos homens, e nesta obra observa-se que as mulheres muitas vezes tomam decisões que influenciam todo o futuro de um povo, assim como o sucesso ou não de um reinado.


Morgana, muitas das vezes me irritou, mas não se pode notar incrível coragem com que enfrentou as situações, e que tudo não se passou de um futuro que já havia sido traçado desde a primeira decisão tomada por Viviane, a Senhora do Lago, no primeiro livro, e que as demais foram seguindo-a.


No mesmo estilo dos outros, o livro possui capítulos mais longos, e as letras são menores. Demorei um bom tempo para lê-lo, mas não foi porque o livro era ruim, apesar de achar o começo cansativo e a história ficar mais empolgante do meio para frente, foi por outros motivos que já comentei aqui no blog.


Recomendo a leitura desta saga, não só para quem gosta de ler livros mais históricos, mas para quem se interessa pelas visões mais femininas, essas mulheres realmente foram incríveis!
Espero que vocês tenham gostado da resenha!
Não se esqueçam de deixar seu comentário
Beijinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pin It button on image hover