terça-feira, 4 de novembro de 2014

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain


Sei que aqui no blog eu só faço post de resenhas de livros, mas fiz um trabalho na faculdade sobre este filme e como gostei muito resolvi compartilhar a resenha dele com vocês.

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é um filme francês, ele se inicia mostrando eventos que acontecia junto com a fecundação que dará origem a Amélie.
Amélie Poulain era filha de um médico e de uma professora, sua infância se passa em um lar sem afeto e carinho dos pais. Sempre isolada de outras crianças, por conta de um suposto problema em seu coração, seu único amiguinho era um peixe, mas sua mãe nervosa com os ataques de suicídio dele joga – o em um rio, e Amélie nada pode fazer, mas acaba ganhando uma máquina fotográfica que lhe dá poucos minutos de alegria, já que um homem aproveitando de sua inocência lhe faz acreditar que aquela máquina causava acidentes, deixando – a preocupada e se sentindo culpada.
Ainda criança, Amélie perde a mãe enquanto saia da Catedral de Notre Dame, depois de acender uma vela para ganhar um irmãozinho, uma moça se suicidou e veio cair bem em cima de sua mãe.
Seu pai acabou se fechando em seu mundo de luto e Amélie recorreu a sua imaginação, criando um mundo para si.

E então, em 1997, já moça, ela sai da casa do pai para ir morar em outro bairro e trabalhar de garçonete em um café.
Os personagens nos são apresentados pelo que gostam ou o que não gostam, pois percebe – se que o filme valoriza os detalhes, assim como Amélie valoriza as pequenas coisas e a sensação que elas causavam.
Em um pequeno incidente, enquanto ouvia a notícia da morte da princesa Diane, ela descobre uma antiga caixinha dentro do azulejo de seu banheiro, e compreende que aquilo era um “tesouro” do antigo morador de seu apartamento. Ela resolve procurar o dono e entregar, se ele mostrar – se feliz ao receber, ela passaria ajudar as pessoas.
Começa então a perguntar aos seus vizinhos quem era o antigo morador, até que o “homem de vidro” ajuda – a encontra – lo, e quando ela devolve “muda” a vida daquele homem.
E depois desta ação, ela toma gosto por ajudar as pessoas ao seu redor através de pequenos atos e estratégias. Ajuda um cego atravessar a rua, suas colegas de trabalho, seus vizinhos e até seu pai, para ele sair de seu luto e conhecer o mundo.
Um dia ela conhece um moço, por quem se apaixona a primeira vista, ele era um tanto “estranho” como ela, trabalhava em um sex shop, em um trem fantasma no parque e colecionava fotos que as pessoas jogavam fora de máquinas instantâneas. Sem coragem para enfrentar a situação, Amélie começa a fazer enigmas para ele encontrar ela e seu álbum de fotos que ele deixou cair de sua moto. E em uma das aventuras, ela ajuda – o desvendar o mistério de um homem que tinha suas fotos espalhadas por todas as máquinas de fotografias da cidade, sendo ele somente um técnico consertando as máquinas.

Até que sua amiga de trabalho resolve ajudar o moço levando – o até a casa de Amélie, que ainda, apesar de todas as suas boas ações, se encontrava presa em seu mundo, foi quando seu vizinho, “o homem de vidro”, grava uma fita para ela, fazendo – a perceber que ela quem ajudou à muitos, não estava ajudando a si própria. Então Amélie faz a escolha de deixar o moço (que já estava em sua porta) entrar em sua vida e poder ser feliz e amada.

Já assistiram?
O que acharam?

Xoxo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pin It button on image hover