sexta-feira, 17 de abril de 2015

As Brumas de Avalon - A Senhora da Magia (Marion Zimmer Bradley)


Título Original: The Mists of Avalon
Série: As Brumas de Avalon: A Senhora da Magia - A Grande Rainha - O Gamo Rei - O Prisioneiro da Árvore.
Tradução: Waltensir Dutra, Marco Aurelio P. Cesarino.
Editora/Cidade: Imago Ed/Rio de Janeiro
Ano de Publicação: 2008
Páginas: 248
Nota: 

Em As Brumas de Avalon, Marion Zimmer Bradley reconta a lenda do rei Arthur, descrevendo os seus esforços para unificar a Bretanha contra a invasão Saxônica, a partir da perspectiva das poderosas mulheres do reino de Avalon e Camelot. Mesmo aqueles que normalmente não gostam das lendas de Arthur irão se encantar com as mulheres atrás do trono. Morgana e Guinevere lutam pelo poder, usando Arthur para promover as suas respectivas visões de mundo. As intrigas e a política do reino de Camelot descritas em As Brumas de Avalon se passam quando o cristianismo começa a dominar a ilha - nação da Bretanha estabelecendo o conflito com os cultos pagãos.



Em um reino da Bretanha, Tintagel, Igraine a rainha vivia com seu marido o Duque Gorlois, conhecido como Duque da Cornualha cuidando do castelo e de sua pequena filha Morgana, até que tudo muda com a visita de sua irmã mais velha Viviane, a Senhora de Avalon e Merlin da Bretanha. A breve visita teve a finalidade de informar a Igraine sobre o seu destino, que estava preste a mudar. Não teria um filho com Gorlois, mas sim de Uther Pedragon que se tornaria o Grande Rei e seu herdeiro seria aquele que juntaria o povo das duas Bretanhas, os saxões e o mundo das fadas,  que estava perdido nas brumas do Mar de Verão.

Igraine se vê encurralada e revoltada com a irmã, quando casou - se com Gorlois era muito nova para entender as coisas, e agora já não desejava mal a ele, mas sabia que os dias dele já eram breves. O que ela não esperava era ele convidá - la para acompanha - lo a Londinium na escolha do Grande Rei que ocuparia o lugar de Ambrósio, que já estava bem velho.



O livro é narrado pela Morgana, tendo algumas partes que ela mesma comenta, mas inicialmente se passa pelo ponto de vista de Igraine, e em alguns momentos do ponto de vista de Viviane. Alguns capítulos são bem longos, e as letras do livro são pequenas, o que torna a leitura mais demorada. E por ser uma história dos tempos mais antigos, exige mais concentração. 



A autora conseguiu cumprir sua missão e eu achei muito interessante, pois geralmente nos livros sobre as guerras, as mulheres sempre ficaram em segundo plano. 

As quatro estrelas foram que, apesar de ser um bom livro e me deixado até ansiosa para começar o próximo, achei a história bem cansativa, tanto que demorei um bom tempo para finalizar a leitura. Começou a render mais depois da metade do livro. 


Ganhei está saga da minha prima, a Ana do blog Cantinho da Ana, e ela fez uma dedicatória super fofa.
"Mas esta é minha verdade; eu, que sou Morgana, conto - vos estas coisas, Morgana que em tempos mais recentes foi chamada Morgana, a Fada."

2 comentários:

  1. E se eu contar que amo as histórias do Rei Arthur ? Tipo adoro mesmo, fiquei louca quando vi essa sua resenha, tem um filme também que é bem parecido, é mais dinâmico, porém é bem legal, chama-se "Avalon High", já assistiu ? Conta lá no blog, falando nisso, tem post novo lá no blog falando sobre filmes de abril, e tem uma votação, espero que possa participar, irá ajudar muito, beijocas!
    wintergiirl.blogspot.com visite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Que bom! Eu também gosto das histórias dele, mas isso é recente. Não assisti esse filme, mas é bom saber que é legal. Agora que já tenho quem procurar quando quiser saber alguma coisa sobre o Rei Arthur hahaha. Ah, já participei da votação!
      Beijinhos

      Excluir

Pin It button on image hover