terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Capítulo 3 - Surpresa


(... continuação A festa)
– Com licença, estamos com um mandato de prisão para o Sr. Cristian Lauren.
– O quê? – Gritou a sua avó – estamos comemorando uma festa de aniversário, são cegos, não estão vendo? E vocês vêm aqui falar um absurdo desses na festa da filha dele?
- Desculpe – me senhora, mas é um caso grave e nós precisamos encontra – lo.
- Ele não está aqui. – Sua mãe responde.

Completamente muda, Anabelle olhava perplexa para o policial parado na sua frente. Não conseguia acreditar que isto estava acontecendo, não podia estar, era impossível. Tudo não devia passar de uma brincadeira. Mas quando outras quatro viaturas chegaram não pareciam que estavam ali de bobeira.

- Por favor, é a festa da minha filha, meu marido não está aqui. Vocês estão assustando os convidados. Por favor, vão embora, eu... – Sua mãe quase chorava e não conseguiu terminar a frase.

Anabelle estava instintivamente agarrada na sua mãe, sentia medo, o que chegava ser engraçado, pois nunca na sua vida lembrava-se de ter sentido medo.

Os convidados começaram a se movimentar, muitos já iam em direção a porta para sair. Os policiais barraram o salão e pediam que todos continuassem ali dentro. Dois, que deviam ser investigadores, entraram e andaram pelo salão fazendo uma busca, depois subiram ao andar de cima para olhar os quartos.

Só liberaram as portas quando eles voltaram e deram sinal que quem eles procuravam não estava ali. Automaticamente os convidados também foram saindo. Muitos com medo, outros revoltados com tamanha falta de educação.

Anabelle procurou a avó e viu que ela tinha desmaiado, e pensou que si própria estava quase desmaiando. Sentia – se horrível, estava com vergonha, sua festa tinha sido arruinada e seu pai acusado de ser um criminoso e o pior, tinha fugido no seu aniversário.
Sentou – se em um dos pufes, e começou a chorar. Viu Ryan se aproximando e respirou aliviada que alguém estava com ela. Esperando um abraço ela virou – se para ele, que apenas disse:

- Desculpe Belle, mas meus pais querem que eu vá embora com eles. Não vou poder ficar. – E sem esperar pela resposta ele virou e foi em direção aos seus pais que a olhavam como se estivesse com toda a culpa do que, seja lá o que for, tivesse acontecido.

Perdendo completamente a noção do tempo, Anabelle ainda sentada no mesmo pufe e olhando para o lugar onde a última família tinha saído, deu um pulo quando um baque surdo atravessou o enorme salão, agora vazio e praticamente escuro. Olhando em volta e tentado recordar dos últimos minutos que mudaram sua vida, enxergou a silhueta de um homem que vinha na sua direção.


Seu coração deu um pulo e ela sentiu um súbito ataque de euforia. Não dava para ver direito, somente as velas das mesas iluminavam o fundo do salão e fazia sombra na parede de um homem alto, mas ela sabia que era seu pai. Podia até sentir o cheiro do seu perfume. Quando este chegou mais perto teve que correr, pois a garota havia desmaiado.

Obs: Este texto foi criado por mim mesma, não copiem sem autorização!
Foto: Google

Já faz tempo que comecei a escrever este conto e nunca mais tinha feito a continuação, hoje deu vontade de escrever e acabei postando mais um capítulo. Talvez eu continue ele... talvez não.


Beijos

2 comentários:

  1. very nice blog sweety! ;)
    Come to check it out my new post:
    http://honeyandcotton.org/come-fare-capelli-a-onde-perfette/
    Kiss from Rome.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada ;)
      Pode deixar que irei ver sim!
      Beijos

      Excluir

Pin It button on image hover