segunda-feira, 17 de março de 2014

Capítulo II - A festa



- Belle, acorda querida!
Ela abriu os olhos devagar e viu sua mãe, um lindo vestido azul royal estava esticado ao seu lado na cama.
- A equipe de preparação já esta a caminho, não podemos nos atrasar.
Sua mãe, Glace, era uma bela mulher, veio de uma família rica, mas humilde, seus pais lhe ensinaram a dar valor naquilo que é conquistado. Casou – se jovem, o pai não ficou muito satisfeito, apesar da família inteira do moço ser rica, eram muito esnobes, não davam valor nas coisas.
Eles levavam uma vida bem tranquila, Cristian, tinha um serviço de prestígio, era o presidente da Dennil’s Company e Glace ficava em casa para cuidar de Anabelle, apesar de terem empregadas, cozinheiras e professores particulares para a menina. Glace tentava mostrar para filha que nem sempre as pessoas tinham o privilégio dela, mas seus conselhos sempre eram sufocados pelos mimos dos avós paternos, ela era a única neta.
Anabelle entrou no seu suíte, a banheira cheia de espumas perfumadas já havia sido preparada, a água era morna, ligou o massageador, brincou com as espumas, por fim fechou os olhos e tentou entender o porquê estava triste no dia que tanto esperou para chegar, então entendeu que ninguém antes havia magoado – a.
Depois de sair do banho, vestiu um robe de seda e sentou na frente de sua penteadeira. Não demorou muito para a equipe chegar e começar o trabalho. Nos cabelos foram feitos grandes cachos, a maquiagem era leve, mas nem um pouco simples. Depois de vestir o maravilhoso vestido e se contemplar no espelho, percebeu que não tinha motivos para continuar triste, ela era realmente maravilhosa.
Quando desceu da limusine, alugada pelo seu pai, só via os flashes das máquinas fotográficas, pétalas azuis haviam sido espalhadas pela longa passarela branca, as mesas eram de vidro e os pufes combinavam com a decoração azul claro, lustres de cristais iluminavam o salão, na frente uma mesa de vidro com um grande bolo de quatro andares, as taças de cristais cheias de doces variados, tudo brilhava, e Anabelle mais ainda.
Enquanto atravessava o enorme salão, ela segurava o braço do pai com leveza, nunca teve problemas em ser o alvo das atenções. Quando chegou ao fim da passarela, ela olhou para os convidados com seu belo sorriso, acenou para sua avó que estava em uma mesa reservada para ela. Mais atrás viu os melhores amigos do seus pais, Julian Broocking e sua mulher Caroline, Anabelle considerava – a como sua irmã mais velha.
Depois de tirar as fotos com seus pais, sentou – se para comer. Sheila e sua filha Maggie, melhor amiga da Belle vieram lhe dar parabéns, as duas se conheciam desde criança, o pai dela, Charles, era o advogado da Dennil's Company.
Sheila era uma mulher muito bonita, mas sua mãe não gostava dela, dizia que ela era muito invejosa, e que isso não era bom, Anabelle não via problemas, ela sempre a levava para o shopping e dava dicas de quais roupas ela devia comprar.
Ficaram conversando sobre o colar exagerado de Cecília Sharpien, a mulher do prefeito, sua mãe lhe dizia que tinha que tomar muito cuidado com que o contava para ela, pois ela sempre aumentava e fazia de assunto na hora dos seus famosos chás, mas como ela era muito amiga da sua avó, não via mal nenhum em contar – lhe as coisas, só achava que ela não entendia muito bem de moda.
Anabelle percebeu que estava bem mais feliz, passou a mão pelos cachos do cabelo, arrumou a coroa que não havia saído do lugar, olhou para o lado e viu seu namorado vindo em sua direção, ia fazer um ano que já estavam juntos, mas se conheciam há anos. Ryan era tudo para ela, sua avó dizia que ele era o menino mais bonito que ela já tinha visto isto porque ela tinha viajado quase o mundo todo.
- Belle, já está quase na hora da valsa, e ninguém sabe onde está o seu pai, ele sumiu depois que tiraram as fotos.
- E minha mãe onde está?
- Conversando com Julian, mas ele não faz ideia de onde seu pai poderia estar.
Glace vinha ao encontro da filha, estava claro em seu rosto que algo não estava bem.
- Mãe, onde está meu pai?
Sua avó se intrometeu no meio e respondeu:
- Calma meu amor, seu pai não iria sumir por nada na festa de sua princesa, tenho certeza que ele está planejando alguma surpresa.
- Mãe? Belle percebeu que ela não estava bem.
- O quê? Respondeu ela parecendo perdida.
- Você está bem?
- Sim, sim. Sua avó tem razão não precisa se preocupar. Mas no fundo sabia que precisava, o telefonema que tinha recebido de manhã deixou claro que alguma coisa iria acontecer, no momento pensou que era só um engano, agora já não sabia mais no que pensar.
Os convidados não tinham percebido nada, o prefeito parecia entediado com a conversa de sua mulher e disfarçava dando pequenos goles de vinho e concordando com a cabeça. Julian conversava com outro amigo de seu pai animadamente, enquanto sua mulher saboreava os brigadeiros, tudo parecia normal, mas ela sabia que não estava seu pai nunca tinha sumido antes.
Foi então que reparou que na mesa que estava Maggie e a mãe, tinha outro homem que nunca tinha visto e era bem mais velho que Charles, eles se levantaram e de mãos dadas saíram rapidamente pela porta lateral do salão, ela já havia escutado uma conversa de que Sheila não gostava do marido, mas nunca acreditou, então começou procurar por ele e percebeu que ele não estava mais na festa.
- Mãe, Charles também não está aqui! O que aconteceu?
- Querida você vai dançar a valsa com Ryan, não se preocupe.
Enquanto trocava de vestido pensava onde seu pai poderia estar, sua felicidade já havia desaparecido, sua avó tentava acalma - la fazendo um monte de elogios. Ryan lhe ajudou a descer as escadas, a música já estava para começar, os convidados esperavam ansiosos, quando de repente a porta principal se abriu e o giroflex dos carros da polícia iluminou os lustres de cristais, refletindo milhares de luzinhas pelo salão.

...

Obs: Este texto foi criado por mim mesma, não copiem sem autorização!
Foto: google

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pin It button on image hover